.

Monday, November 28, 2011

Eu sou o caso deles

" como é que se satisfaz com as coisas fundamentais da vida? porque eu esqueci."
No facebook, bem assim. Uma mensagem gigante, de um coração tão gigante quanto ela. Com dúvidas, tantas dúvidas e aparentemente um coraçãozinho apertado. Meu menino, meu bem,  meu artista aparentemente estava crescendo. Quando saiu de perto de mim, quando criou as asas que sempre quis, todos ao seu redor avisaram, pediram, alguns até previram tragédias pro meu menino. Eu não. Eu sempre acreditei que por mais sonhador que ele fosse  quando a saudade, o medo, e as desilusões apertassem ele ia saber o que fazer. E por mais que sua pergunta parecesse confusa, era a prova, era a minha prova de que ele estava crescendo.O resto da pergunta era quase uma confissão, um segredo: as coisas que ele sempre sonhou, já não pareciam tao reluzentes quanto eram antes. E ele queria mais. Não mais coisas reluzentes.Mas queria querer alguma coisa. Só não sabia o que. "fico pensando se eu deveria estabelecer algum objetivo mais claro para meu futuro, além de ser feliz. felicidade é um complemento, não é?" E ai, ai sim eu pude ver com toda clareza... Meu menino cresceu... E segue a minha resposta pra ele...

" Felicidade não é complemento de nada. O resto é que é complemento de felicidade. Entendo exatamente oq vc quer dizer. Ta tudo lindo, tá tudo otémo, vc tá saindo, tá conhecendo um monte de gente, tá do jeito quie vc queria. Mas tá faltando alguma coisa. Vc não sabe quem ou o que. Ai vc fica angustiado, e etc. Não, vc não está infeliz. Vc só está mudando. Mudando de prioridades, de vontades, de tudo. E acredite, isso é ótimo, pq é justamente a mudança, a insatisfação e essa angútiazinha que faz a gente largar tudo em Itabuna e ir pra Salvador realizar o sonho de ser artista plástico. E é isso que faz a gente na hora certa desejar outra coisa e ir atrás dessa coisa. Fique tranquilo, por mais que pareça que vc está preso num bueiro, ou numa "Bolha", se assim preferir, é ai que vc cria coragem, e explode a bolha, e ai ganha aquela coisinha, que na hora vc chama de felicidade. Sem se ligar que ela é so um detalhe que vai montando o seu quebra cabeça de felicidades. Imagina, pra ficar mais claro...Quando eu era criança a coisa que eu achava que mais ia me deixar feliz era conhecer meu pai. Eu conheci. Na hora foi o supra sumo do que é feliz. Com o passar do tempo nós brigamos, nos desentendemos, mas sempre, por mais q eu dissesse que não, ele fazia parte do meu "eu feliz". Pq eu tinha vivido aquilo. Hoje minha felicidade é ser redatora. Assim como minha tristeza ja foi terminar varios namoros, ver meu vô morrer, essas coisas. A tristeza passou, mas o meu "eu triste" continua lembrando dessas coisas. Em suma, é isso. Somos dois. um "eu triste" e um "eu feliz". O segredo é sempre deixar o "eu feliz" livre, qurerendo o que quiser. E querendo querer. E o "eu triste" lá guardadinho, só pra lembrar pra gente que ainda tem mta coisa pra aprender nessa vida. No mais, eu te amo, e vc conte sempre comigo."
 Meu menino me ensinou tanta coisa, secou tanta lágrima, e foi uma dessas pessoas que à primeira vista me encantou. Nunca vou esquecer do meu primeiro dia naqueles áquarios de vidro, do seu sorriso de boas vindas. Nunca vou me esquecer que ele nunca desenha os dois olhos de suas personagens. Nunca vou me esquecer que ele confia em mim, que eu confio nele. Nunca vou me esquecer que ele gravou o melhor dvd do mundo pra mim. Nunca vou me esquecer dele. E ele, nunca, nunquinha deve esquecer que não é mais um menino. E que sempre pode contar comigo.


"Eu sou o caso deles
Sou eu que esquento a vida deles
No fundo, no fundo
Coloco os velhos no mundo
Boto na realidade
Mostro a eternidade
Senão eles pensavam
Que tudo era "divino maravilhoso"
Levavam tudo na esportiva
Ficavam contanto com a sorte
E não se conformariam com a morte"

1 comment:

O Impenetrável said...

aqui tudo é inspirador.