.

Thursday, November 27, 2008

O dia D - de desastre.

"Nove da manhã ela sobe as escadas apressada. Entra na sala fria, agurada sua vez.Pronto, nervosa começa a falar sobre o que acha que sabe...Um desastre. Gaguejou, suou frio, tremeu e no final, só queria água."
Simples assim minha primeira apresentação de artigo cientifico: uma bela porcaria. Sou tímida, detesto falar em público e ser testada o tempo todo. Bom...paciência, a vida é assim.
Fora isso, vamos falar sobre o mundo que é uma cereja. Castelos de areia sendo reconstruidos pelo meninho de camisa verde do meu scraapbook,chuva e calor torrencial, alguns quilos a mais, um sono terrivel, e entre mortos e feridos a dona do pé de cereja bem viva e com fome. Fome de sair, de dançar (eu quero dançar com vc...dançar com vc...) e de ir logo pra casa , ficar de baixo da asa de mamãe.
Tem um arco iris lá fora amanhã e eu tenho que acordar cedo pra vê-lo.

Música do dia :
"Eu sei, você já parou de contar as estrelas do céu
E eu não, eu não posso mais te ajudar a dizer onde estão
Seu olhar pesado me prende ao solo
E eu sei, eu não posso mais flutuar
entre estrelas do céu que você apagou
Falta um pouco de luz nos seus olhos
e me dá saudade o seu rosto brilhando ao sol
Falta um pouco de amor no seu corpo
e eu não posso te dar pois em mim faltará também
Talvez, se a gente encontrasse um lugar pra recarregar nosso amor
então, quem sabe eu pudesse enxergar vida no que nos restou
e essa estrela morta brilharia um sol
Meu bem, o pouco que eu posso te dar
É tudo o que eu já te dei e que não te bastou
Falta um pouco de luz nos seus olhos
e me dá saudade o seu rosto brilhando ao sol
Falta um pouco de amor no seu corpo
e eu não posso te dar pois em mim faltará também
Eu sei que você vê tudo o que eu faço
Eu sei que você lê tudo o que escrevo
Escrevo pra você" (Estrelas, Ludov)

6 comments:

Lost Samurai said...

Se isso te espanta e dá pavor...
Espanta para longe a tua dor...
Canta que encanta e vai sem medo
Quer ouvir um segredo?
É sempre assim
Mas não há do que fugir
Não é tão ruim
Então tente sorrir

Lembra da Suplicy?
Relaxa Kekotrim.

Beijos!

Amanda Maron said...

Aposto que não foi bem assim.
Lembro da minha primeira apresentação de artigo.
Eu tava lá, super nervosa, com meu pseudo orientador assistindo (e ele não tinha me indicado SEQUER uma leitura) e zilhões de pessoas que sabiam do que estavam falando, ao contrário de mim.

Concordo com o Samurai.
É sempre assim.

Celi Passos said...

Veja,

abstraia! QQQQQQQQQ

rsrsrs
Relaxe ok?

Celi Passos said...

A propósito, o cara que deu aquela palestra sobre cordel ontem... leu papel a noite toda.. então tipo.. acho q vc foi melhor do q ele. HA!

BoLaS said...

só pra entrar no coro...relaxa!

α мσςα đα נαทєℓα said...

vamo bebeeeer putada \o/