.

Sunday, October 19, 2008

"Qualquer coisa que se sinta..."


Enquanto ainda é domingo deixe-me fazer a minha retrospectiva da semana mais etilica de todos os tempos. Não darei detalhes das minhas bebedeiras, quedas de sofás, escadas, mergulhos em baldes e afins. Nem das madrugadas acordada no msn sonhando acordada. Nem da minha possivel viagem para o centro -oeste, desta vez mais possivel do que nunca.
Vou falar do que ficou desta semana. Do aprendizado que envolve frases em inglês, segredos de liquidificador, e conselhos dignos de quem não quer ver uma amiga machucada. Mas parece que não tem jeito. Meu mundo é uma cereja, e além de vermelho vivo ele é frágil.
Eu sonho demais, eu espero demais. E agora eu bebo demais pra esquecer o que não dá pra ser esquecido. E pra lembrar do que eu posso fazer se eu quiser fazer. Dos pecados que eu gostaria de cometer, mas parece que não cometerei. Das loucuras que quero fazer, e provavelmente eu farei se ninguém me disser: " não, você não vai".
O fato é que eu esperava mais que um tchau sem explicação. Eu esperava mais de um fim sem lágrimas. Eu esperava mais de um copo cheio de leite e de um porta retratos que agora está vazio. Eu achei que ia ser bom. Eu achei que ia ser péssimo. Mas não tá sendo nada.
Eu estou vazia, igual ao meu porta retratos. Eu não sinto dor, eu não sinto medo, eu não sinto nada. A minha tristeza não existe, e a minha felicidade é simulada por copos de vodka com polpa de frutas. E eu ainda não virei uma alcoolatra.
Eu estou sim empolgada com a realização do sonho das 22 horas sentada num veiculo em movimento. Mas enquanto não chega a hora, eu só queria ter alguém pra abraçar apertado. Enquanto não chega a hora de sorrir, eu queria de verdade conseguir chorar.

3 comments:

Colombina said...

ABNT:

1- segredos de liquidificador?

2- Não me lembre mesmo o seu mnergulho no balde...

3- Chorar vc até chorou...Mas precisou de umas cervejas pra isso.

4-Eu não tô bem
Vc não tah bem...

Tamo fudida!!

5-Beijomeliga!

Sartre said...

Erika,

Não ser nada pode ser pior que ser alguma coisa. Mas, ao mesmo tempo, não ser nada pode te possibilitar ser alguma coisa.

O copo de leite cheio e o porta-retrato vazio são, sim, indícios de abandono de alguma coisa que veio do mundo e se foi.

Repentinamente, nos é também necessário saber. Urge, simplesmente, um dever com nós próprios de saber o que fazer, o que ser, com quem ser, por que ser.

Tudo isso está dentro de nós. Não fora.

Beijinhos,
Cesar

Amanda Maron said...

Sabe, acho que foi uma semana bem parecida pra todo mundo.
Pq, lendo seu texto, é como se vc tivesse colocado pra fora tudo o que eu quis dizer nessa semana.
Digamos que, sim, ela foi BEM parecida. Marcada por calouros, bebedeiras e vontade de sentir alguma coisa.
Digamos que, no fim das contas, a gente se entende mais do que poderia imaginar.