.

Friday, January 22, 2010

O último homem no dia em que o sol morreu

Não me reconheço mais. Sério. Acho que estou ficando doente porque né? Vamos do começo. Ele chegou. Me ligou, nos vimos, foi lindo, e bla bla bla, eu fiquei feliz. Mas no outro dia... Cadê os malditos fogos de artificio? Cadê o sol brilhando mais forte, o dia sorrindo e os sininhos tocando loucamente? Pior!!! Onde foi parar a vontade louca de  falar, ver, abraçar? Foi quase como um assunto pendente resolvido. E isso é estranho. Porque ao contrário do que sempre acontecia, dessa vez ele não bagunçou minha vida. Só arrumou. Colocou tudo em seus devidos lugares. Eu deveria agradecer?

"Somos, se pudermos ser ainda
Somos donos do que hoje não há mais
Houve o que houve e o que escondem em vão
Os pensamentos que preferem calar
Se não, irá nos ferir o não
Mas quem não quer dizer tchau?"



6 comments:

Jessica said...

Querida, estou passando pela mesma coisa... só que eu estou pulando feito uma bolinha pingue-pongue e o carinha está mais pra uma estátua!

=/

Mel Andrade said...

Quando a gnt eséra demais a comida esfria.

July said...

Mas e você está feliz??
Começei acreditar em destino, cosmos, forças divinas em qualquer coisa q acalme meu coração...
Tenta aí, quem sabe tem explicação...
bjuss

Colombina said...

Agradece sim!! Compra um pênis de borracha, tamanho Kid Bengala, e manda pra casa dele via SEDEX 10 com um cartãozinho escrito: "Thanks!".

Marcelo Weber said...

Porra nenhuma! Também, que diabos se esperaria de um SLOT?

Se precisar, benhê, ,tô aqui só pra você.

Vem neném!

Lost Samurai said...

Porra nenhuma! Também, que diabos se esperaria de um SLOTH?

Se precisar, benhê, ,tô aqui só pra você.

Vem neném! [2]

Concordo com o MESTRE! rsrs