.

Saturday, September 26, 2009

Sobre trabalhar


Há quatro anos, quando eu me vi tendo que escolher de verdade o que ia ser quando crescer sabia que queria fazer comunicação social e trabalhar com publicidade em qualquer lugar e que jamais, em hipótese alguma eu ia ser advogada, médica ou jornalista. Advogada porque não me via tendo que usar tailleur pra ir até na esquina, ou sentada o dia inteiro tentando consertar as merdas que as pessoas faziam. Médica porque eu não tenho a menor afinidade com a área de saúde. Não gosto de sangue, não tenho paciência com pessoas, e sou sensível demais pra ver uma criança com câncer ou alguém acidentado. E jornalista... Bom, eu não tinha direito uma explicação do porque não queria ser jornalista. Só achava que no fundo eu não tinha talento nem pra escrever, nem pra falar na frente das câmeras. E se fosse pra ser alguma coisa na vida, eu queria ser a melhor. E a globo era pouco pra mim, como sabia que eu nunca ia ser a melhor jornalista do mundo, não me interessei mesmo pela profissão. Eis que fiz o vestibular pra rádio e Tv na UESC e pra jornalismo na UESB. Passei nos dois, desdenhei do jornalismo e vim parar em Itabuna. Quase quatro anos depois, na boca da minha formatura, sem a ilusão que trabalhar com publicidade dá dinheiro em qualquer lugar, já sem querer ser a melhor do mundo em qualquer coisa, mas tentando ser o melhor que posso em qualquer coisa que eu faça, cá estou eu: trabalhando em um jornal impresso. E o mais incrível: me divertindo muito, tendo tesão de verdade pelo que faço. Acordando às sete da manhã sem reclamar que vai ser um dia chato. Talvez seja um dia cansativo, mas chato quase nunca é. Pelo menos não no período da manhã. Não desisti da publicidade. Um dia ainda trabalho, nem que seja por uma semana numa agência, só pra ver como é que é. Mas descobri outras coisas na comunicação. A produção de vídeo. A edição. O criar um produto com sua cara, com suas idéias. O jornalismo também é bacana. Pelo menos a parte prática da coisa. Não é mesmo o que eu quero fazer pro resto da minha vida, mas enquanto for preciso, ou enquanto a parte “vídeo” da vida não me pega, vou me divertindo com cada edição que sai.

4 comments:

Lost Samurai said...

Que coisa boa de se ler. Fico feliz de ver você satisfeita. Você sabe o quanto isso me faz feliz. E eu realmente acredito que o objetivo é, sempre, ser o melhor que você pode. É extrair o máximo de si mesmo, independente do resultado dos outros. E mais, acredito que o máximo que você pode ser, pode sim, ser muito mais que o mundo inteiro. Superação Keka, superação.
Beijosteamo!

Marcelo said...

De fato muito bom ler esse seu testemunho!! torço pelo seu sucesso em tudo o que faça e mais quando você diz que é feliz com a profissão que eu mais amo - a comunicação. Continue a se dedicar com amor e paixão naquilo que você faz e o sucesso será apenas uma consequência. beijo

Colombina said...

Vc tem um trabalho!!!
morrodeinveja.com

~{★daniєlvictσя} said...

Ahhh, eu adoro trabalhar (principalmente se estágio contar como trabalho!, hauhauhauah).

Sucesso para todos nós, cara colega e amiga de ônibus e encontros em Curitiba. hahahahaha

Beeijão! Super te add em meus parceiros. ;*