.

Wednesday, April 08, 2009

Toquem o meu coração, façam...a revolução

Então que é capaz de eu matar uns 3 de raiva aqui, ou até mesmo de ser mais odiada do que eu sou naquela faculdade. Masss..Não se pode agradar a todos, e o tio Betinho me ama, então isso é o que importa. Um tempo atrás, eu disse q meu espirito revolucionário tinha morrido. Eu estava falando a verdade. Masss..eis que ele ressucitou essa semana com a trágica noticia e possibilidade de ficar mais um ano pegando ônibus lotado pro salobrinho e tomando laranja sem açúcar na cantina de Lelê.Em um resumo rápido : estamos sem técnicos pros laborátorios, o que significa impossibilidade de aula, o que significa cancelamento de matérias práticas que é igual a atraso no curso.
Bom, diante desse babado todo, resolvemos (e vejam só que eu estou colocando isso no coletivo pra não trair o movimento ) fazer uma manifestação e tentar de alguma forma mudar esse quadro.Resumo rápido mais uma vez : foi feita uma assembléia com todos ou quase todos os alunos do curso e decidimos entrar com uma ação no ministério público, e tentar uma reunião com o reitor , e junto com essa reunião fazer uma manifestação com apitaço ( não sei quem teve essa idéia idiota de apitar no ouvido dos outros, mas tudo bem). Ai começou a bagaceira. No meu curso, assim como em quase todos os lugares e instâncias do mundo, as pessoas sofrem de uma doença gravissíma e que por vezes é contagiosa...Chama-se : (pausa pro suspense) TEF ( Transtorno do Ego Ferido). Gente, virou uma bagunça uma baderna.Um querendo se aparecer mais que o outro, um monte de gente querendo pintar a cara e se amarrar no poste e fazer grave de fome achando que isso é luta estudantil...Uma palhaçada. De uma hora pra outra, deixou-se ( e agora não tem mais coletivo porra nenhuma) o respeito para com os colegas e para com a própria causa de lado, e virou uma orgia mal organizada onde ninguém aproveitou e se divertiu direito porque todo mundo queria mostrar mais a bunda no espelho do teto. ( Genten, como eu tô chula).Em resumo : rolou ate bate boca entre os próprios alunos que estavam reividicando os técnicos. Bom, o fato é que o reitor atendeu a gente, fez o possivel , pelo menos ao meu ver pra facilitar nossas vidas, e as pessoas, as minhas queridas pessoas cíclicas e reduntantes e porque não, burras continuavam a confusão, a tentar se aparecer...ai deus...ô paciência que não me sobra.Ali, em plena plenária com o reitor, coordenador do curso e o diabo a quatro, meu espirito revolucionário morreu de novo.E ele permanecerá morto enquanto houver gente achando que Che Guevara era o mestre dos magos, Bob Marley o deus dos maconheiros e Amanda a traidora do movimento.

E tenho dito, e se achar ruim ...ME PROCESSE!

4 comments:

Lost Samurai said...

Tio Betinho te ama. Isso é verdadeiro e não evolucionário. rs
De mais... Se rolar processo eu te arrumo um advogado. rsrs
Beijos!

Amanda Maron said...

O final é a melhor parte.
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Velho, quero mais é que todo mundo se foda. Tenho dito.
Cansei.
Meu espírito revolucionário, que sempre foi como o seu, está sentado na cadeira coçando o saco enquanto Schimidel tenta me convencer a convencer minha turma a me eleger pra ir pra Salvador (fiquei tonta só de escrever).

Ass:
A traidora mór do movimento que conseguiu que a vice-reitoria atendesse esse bando de corno.

Encosto de Betty Davis said...

Bom mesmo é o inferninho.

Ok, não tem nada a ver com o post esse comentário, mas bom mesmo são os ônibus lotados. (Agora tem a ver com o post).

Mariana Andrade said...

E no fim, Mel paga de traidora dupla-tripla do movimento:
(apoiou Amanda e os sete anões na frente da galera, se fudeu na boca do povo e ainda disseram aos sete anões que ela desceu a ripa na ação deles)
Meu espírito revolucionário, não tem jeito, é de porco
¬¬