.

Monday, July 28, 2008

Sobre a festa de aniversário


Boooombou! A festa de aniversário badaladééérrima bombou! Vários docinhos, bolo, balões coloridos e crianças.Muitas crianças.Crianças capazes de implodir o seu prédio, caso você um dia necessite fazer isso.Bom, como toda festa de aniversário começou com as pestinhas (ups, crianças!) quietas, tímidas, olhando sorrateiramente para a mesa de doces, os adultos comendo salgadinhos e tomando uma cerveja, a ala trash da familia chegando para resenhar e os adolescentes amigos da irmã mais velha da aniversariante fazendo uma leve baderna numa mesa localizada no lado obscuro do quintal onde ocorria o evento.O tempo passa...as coisas começam a se agitar,as crianças começam a correr por todos os lados enlouquecidamente, gritando, berrando, estourando balões, furtando brigadeiros e alguns até estavam competindo quem conseguia colocar mais cachorro quente na boca de uma vez.Enquanto isso os adultos continuam tomando cerveja, falando sobre politica e querendo ver o oco, afinal, a casa não era deles mesmo...o que significa que não importava nem um pouco se o seu filho, afilhado,vizinho,"desculpa-para-estar-naquela-boca livre" quebrasse toda a casa da minha tia.E por falar na minha pobre tia, ela começou a ficar nervosa, ansiosa, e lá fomos nós cantar os parabéns...E é ai carissimo leitor que eu, essa peça de lego ficou chocada.E olhe que pra me chocar é preciso muito...Aquelas crianças de 7 e oito anos, no máximo nove, ao final dos parabéns, do é big é big, entoaram o com quem será! Oh que bonitinho, vocês podem pensar.Mas não leitor! Não foi só isso...Era uma livre adaptação o com quem será...e era um canto longo que terminava com a minha prima se separando, casando de novo, "FAZENDO UM FILHO NO ELEVADOR QUE NASCEU EM SALVADOR". Agora me diga, eu posso com isso???Meu tio, o pai da individua que aniversariava ria sem graça, minha avó me olhava com uma cara de "ãn?" e minha mãe..bom minha mãe nao conta, ela é maluca.E quando eu achei que tudo que podia acontecer tinha acontecido, depois do bolo, dos doces, e da correria desenfreada pra pegar o maior numero de balas e pirulitos possivel, as crianças foram pra sala brincar...E meu celular tocou, fui atender num local que fizesse menos barulho e quase fui atropelada por uma corja de pequenos marginais amiguinhos da minha prima, cansei de ser boazinha,ergui minhas mãos aos céus e fiz minha prece : "nossa senhora da biciletinha, dai-me equilibrio!".
Depois disso, esperei as crianças irem embora pra me juntar aos sobreviventes da festa de aniversário e resenhar os que podiam ser resenhados.

8 comments:

daiane said...

Eu adoro furtar brigadeiros e fingir que sou uma marginalzinha de 7 anos, eu também faço preces pra nossa senhora da bicicletinha por falta de equilíbrio. Eu devia ter ido pra essa "boca-livre" Afinal 0800 é com essa amiga sua mesmo!


Amo você!

·٠•●ą мσçą dą ﻝąиєℓą • said...

É querida Cotrim... os tempos mudaram... gostaria muito que o nosso amigo Louco da Motosserra, sendo um homem tão sábio, nos dissesse se festas comos essas nos fazem ter saudade da xuxa, vovó mafalda e bozo ou se na verdade eles são os responsáveis por hoje em dia as crianças serem mais malucas do q antigamente!!

beijooo
e vamos no sex shop hj a tarde, não esquece!!

Netto said...

Dica para a próxima festinha: Um colete à prova de balas (Ops!De brigadeiros voadores!!)

Adoro festa infantil...Comer os doces no dia seguinte nem se fala...

Valeu Erika!!

~~ponto said...

"os adolescentes amigos da irmã mais velha da aniversariante fazendo uma leve baderna numa mesa localizada no lado obscuro do quintal onde ocorria o evento"

me enxerguei.
ASDHUISAHDIUSAHDUISAD
mas, como eu falei pra moça da janela, Saudade de Balão Mágico

Michele said...

Erika, que bagunça!!! Haja paciência pra lidar com criancinhas cheias de energia assim! No mais, eu adoro festa de criança!

Seu relato foi engraçadíssimo e só posso dizer que gostei muito do seu canto também! Tanto que colocarei um link lá no meu, pra poder te visitar com mais frequência, ok?


Ah sim, crianças se desenvolvem rápido demais hoje em dia! :/


Beijos, beijos!

Igor Garcia said...

Adorei seu relato de guerra, minha pecinha favorita! Espero que vc não tenha ficado diabética depois de tanto doce! A grande farra de ir com os amigos a festa infantil (pelo menos eu já fiz isso) é sair da festa para uma noitada humilde, já que estamos DOCES o suficiente e o álcool faz menos efeito!

Mais do que tudo, nem fico impressionado com essas coisas não! Já escrevi até para Jana esses papos precoces da falta de opção + oportunidade! Se eu tenho amigo que embalava o filho de meses ouvindo Aerosmith (o muleke só dormia ouvindo isso), então a humanidade tem salvação!

Xero!

P.S.: Não adianta que não vou responder post como ABNT! È nóia demais! Prefiro responder pelo PQP, perguntas, questões e mais perguntas! ;-)

.'.Gore Bahia.'. said...

hauehuaea certa vez eu era um pestinha (opa, criança) correndo nessas festas, esmagando brigadeiro na parede e jogando lagartixa na minha prima... haiai, velhos tempos. Nessa época a gente não cantava sobre fazer filho no elevador, mas colocava minha priminha pra dançar de bikini. hahahaaa ;*

Roger, o Louco said...

gostei do post!
mas fiquei com uma dúvida na sua descrição... o que é ser "Erika Cotrim é uma flor de cerejeira"?
=P
grande beijo!
Roger